Não seja um franqueador de mentirinha!

Oi.
Eu te confesso que eu achei este artigo tão bom, que mesmo sabendo que não se deve duplicar conteúdo na web eu não resisti em replicá-lo aqui.
Originalmente, você pode conferir este e outros no site http://www.grupobernoli.com.br/blog/, ok?
Não seja um franqueador de mentirinha!
 Em tempos de instabilidade econômica e mercado desafiador como temos hoje no Brasil, é perfeitamente compreensível que as pessoas busquem cada vez mais informação acerca de mercados e modelos de negócio relativamente seguros para investir. E neste contexto, o mercado de franquias se apresenta como excelente opção para os empresários que buscam crescimento sustentável para seus negócios.

O problema é que, apesar de haver vasta quantidade de informação disponível sobre o franchising, o processo de franquiabilidade não é simples como pode parecer à primeira vista para alguns. E também não é barato (embora o custo benefício compense, no médio e longo prazo). Tem muito conjunto de lojas por aí dizendo que é Franquia, mas não é. Isso porque, para ser Franquia, há uma séries de regras e padrões que DEVEM ser seguidos para evitar até mesmo quebra do negócio, e estas redes não os seguem (até parece que por uma aparente falta de órgãos fiscalizadores jurídicos específicos para o Franchising, já que a lei do Franchising tem mais de 20 anos e abre margem para mais de uma linha de comportamento, em vários pontos). Aliás, eu próprio já vivenciei situações em que o empresário, depois de procurar assessoria especializada para se tornar franqueador e fazer um simples esboço do quanto iria investir no processo, desistiu da assessoria e tentou fazer tudo sozinho, lançando ao mercado um modelo de negócios intitulado como Franquia porém cheio de falhas graves na estrutura.

Já comentei neste post o que precisa ser feito pra começar a formatar sua empresa para ser Franquia. Agora, estou escrevendo novamente para ressaltar que não se pode franquiar hipóteses. Para que sua empresa ser uma Franquia de verdade, você tem que investir em vários aspectos de estrutura: instrumentação e documentação jurídica,  manutenção de padrões e qualidade, educação corporativa e consultorias de campo, imagem institucional e marca, e por aí vai. E tudo isso começa na montagem do plano se negócios, que além de ser feito por gente comprometida e competente, deve contemplar mais de um ponto de vista e antecipar todos os riscos possíveis. E, demagogias e conveniências à parte, é bem improvável se alcançar isto sozinho. Você precisa contar com parceiros de qualidade. Faça uma pesquisa ampla, teste os potenciais fornecedores de serviço, e encontre um parceiro que te ajude a crescer. Tenho certeza de que em meio à tua pesquisa, vamos acabar nos conhecendo ;).

Bons negócios.
Fonte: Dezenas: Dezenas de livros lidos, de clientes atendidos e de experiência de mercado.
Créditos da imagem: Felipe Jardim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: